terça-feira, 29 de maio de 2012

Dois anos e 500 mil euros depois.


Dois anos e 500 mil euros depois da tão enaltecida 'requalificação' do Jardim eis que a CML se rende à evidência e enceta um processo de correcção da 'requalificação':

exemplo de como estavam alguns dos canteiros (foto de Janeiro de 2012)
o mesmo canteiro visto do 'topo' oposto (foto de 24 de Maio 2012)

Por todo o Jardim decorrem intervenções similares à acima ilustrada com o objectivo de corrigir algumas das muitas asneiras cometidas na intervenção de 2009/2010:
Algumas fotos, recentes (Maio de 2012), do estado do Jardim antes da actual intervenção

Afinal tínhamos razão quando atempadamente e vivamente criticamos a 'requalificação' a que o Jardim foi submetido. 
Os antigos canteiros foram destruídos para dar lugar ao que alguém apelidou de 'cemitério de mangueiras'. Nestes cemitérios de mangueiras foram gastas durante estes dois anos após a inauguração da exemplar 'requalificação' do jardim muitas horas de inútil e inglório trabalho pois, apesar dos esforços dos funcionários das diversas empresas que foram sucessivamente tomando conta do jardim, nada neles florescia, além da arrogância, da teimosia e da ignorância.

Pobre Jardim!

Esperemos que as presentes acções eliminem de vez este aspecto de 'cemitério de mangueiras' que o Jardim ganhou após a desastrada intervenção de 2009/2010.
Tememos porém que estas mangueiras que agora estão a ser retiradas voltem a ser colocadas, para nosso desgosto:

Tememos também que as causas profundas que impediram o normal crescimento da vegetação rasteira que iria cobrir estas mangueiras se mantenham, conduzindo ao fracasso da solução agora adoptada para esses sectores:
onde deveria ter crescido uma vegetação rasteira tenta-se agora que crescem estas plantas.

Esperemos que desta vez haja sucesso e se consiga reparar o mal feito. Mas há que não se ficar por aqui na reparação dos erros cometidos. 
Há também que não esquecer o piso, essa chaga para pessoas, plantas e animais. Há também que não esquecer de repor as árvores abatidas à volta do lago. Há que repor as vedações metálicas que delimitavam e protegiam os canteiros, então estupidamente removidas. Há que devolver ao jardim os antigos bancos misteriosamente subtraídos e cuja falta mal escamoteada é bem notável na periferia do mesmo.

Como se compreende este louvável esforço de correcção de alguns dos mais flagrantes erros então cometidos custa muito dinheiro aos contribuintes. Há que assacar responsabilidades pelo contínuo esbanjar de dinheiros públicos neste pobre jardim. 

sábado, 19 de maio de 2012

Minoru Nagashima, o pintor do Jardim.

De 16 de Maio a 2 de Junho pode-se apreciar no Espaço Cultural das Mercês

uma amostra de pinturas de Minoru Nagashima:
artista que vindo do Japão descobriu e se apaixonou pela luz desta cidade e, em particular, pelo Jardim e zona do Príncipe Real:
 稔長島


sexta-feira, 18 de maio de 2012

Cupressus lusitanica. Resposta da AFN.

Na sequência dos ofícios enviados à CML, ao LPVVA, e à AFN por um grupo de membros do Cidadania Lx, recebemos agora as explicações que a Autoridade Nacional Florestal tem para fornecer sobre o assunto, que a seguir reproduzimos:
Agradecemos à AFN as explicações fornecidas que remetem a causa do lamentável presente estado do 'Cipreste do Buçaco' para os vandalismos de que terá sido vítima, vandalismos já apontados como a causa da degradação pelo LPVVA.
Conclusão: segundo o LPVVA e a AFN a degradação do 'Cipreste' não tem qualquer relação com as obras de 'requalificação' do jardim, mas tão só com vandalismos vários, entre os quais fogos ateados no interior do seu tronco, que o enfraqueceram diminuindo-lhe as defesas contra parasitas.

Assim sendo cabe à CML assumir a responsabilidade na não protecção, ou deficiente protecção, prestada a este insubstituível especímene.

sábado, 12 de maio de 2012

A festa.

 Ontem, ao fim da tarde:


...e depois da festa:

estas papeleiras são nitididamente insuficientes para fazer face a estes eventos 

...limpa, limpa,  hoje tens muito que limpar:
...o pior ainda são os vidros:

Se a CML nos permite um conselho: porque não colocam uns grandes caixotes para o lixo e vidros para e durante estas festas?

terça-feira, 8 de maio de 2012

Caminhos.


Quando se retiram as protecções em ferro dos canteiros as pessoas aproveitam para atalharem os percursos a fazer:

 A terra destes 'caminhos' já foi revolvida mais do que uma vez pelos jardineiros, mas as pessoas não resistem a encurtar o caminho.
 

e depois de se retirarem esses belos gradeamentos metálicos que protegiam os canteiros será esta a solução para obstar a que as pessoas passem por onde lhes é mais cómodo:


segunda-feira, 7 de maio de 2012

Não perderam tempo.


A pobre oliveira que hoje ao fim da manhã apareceu derrubada, por causas ainda de nós desconhecidas*, já está cortada 'às postas' e pronta para ser removida do Jardim:

e deixa mais um enorme vazio junto ao lago:

* Segundo informação, não confirmada, terá sido o vento.

Mais uma vítima.


A única Oliveira do Paraíso existente no jardim apareceu assim ao fim desta manhã. O que terá provocado o seu derrube? O Jardim, e a moldura arbórea à volta do lago, está cada vez mais pobre.

Entupimentos.

com os bueiros entupidos, o resultado é sempre este:
Esta 'requalificação' tem menos de dois anos. Já é tempo de ser exigido ao empreiteiro a correcção destas persistentes e patentes deficiências.

Nota: fotos tiradas esta manhã.

sábado, 5 de maio de 2012

Entupimento.

Sempre que chove formam-se pequenos lagos e charcos no jardim, que lentamente desaparecem ao fim de algum tempo.
Este, porém
 já aqui está há mais de três dias: