segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Para quando?

Desde finais de Junho que um destes dois candeeiros à entrada dos Ladeirões do Príncipe Real foi destruído não se sabe se por acidente devido a manobra mal feita de algum pesado ou se por puro vandalismo:

Para quando a reparação deste pilar e a reposição do candeeiro? Estar-se-á à espera de nos aproximarmos de Outubro? Das eleições?
É que além do mau aspecto que apresenta esta entrada dos Ladeirões a coisa pode apresentar perigo na medida caso a corrente eléctrica não tenha sido cortada.

sexta-feira, 7 de junho de 2019

O lago e outros aspectos deprimentes.

Após a nota que publicamos sobre o lago, possivelmente graças aos pedidos de informação que pessoas ligadas aos "Amigos do Príncipe Real" fizeram, este finalmente foi limpo, mas continua sem água:

Já aqui temos abordado o desolador aspecto de alguns dos canteiros do jardim, principalmente os do lado poente:
Aspectos que constratam vivamente com a recente intervenção no jardim das Amoreiras onde houve o bom senso de se manterem as protecções dos canteiros:

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Quem cuida do lago?

O belíssimo lago do jardim que encima o reservatório da Patriarcal encontra-se neste estado deplorável há já vários meses:


Um lago limpo, com água e repuxos dá outro encanto ao jardim, que tão maltratado tem andado. Aqui fazemos apelo a quem de direito (EPAL?; Junta da Freguesia da Misericórdia?) para que reparem, limpem e voltem a por a brilhar esta jóia do nosso jardim.
Se as causas que levam a que o lago se encontre neste estado lastimável são mais graves do que aparentam ser então ao menos que o seu fundo seja limpo enquanto se aguarda pelos meios para resolver esses problemas.

segunda-feira, 8 de abril de 2019

Finalmente!

Finalmente foram preenchidas 6 das 7 caldeiras que permaneciam há meses, senão anos, vazias:
 mas ficou ainda uma caldeira por preencher:

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

domingo, 11 de novembro de 2018

100 anos; 100 árvores.


Hoje, dia 11, pelas 11 horas no Parque Eduardo VII plantaram-se mais 4 árvores deste interessante projecto que consisti na plantação de 100 árvores como comemoração do armistício assinado a 11 de Novembro de 1918.


O grupo dos "Amigos do Príncipe Real" fez-se representar por um dos seus elementos:


Esperemos que o nosso jardim possa também vir a receber uma árvore desta série comemorativa.

Fotos retiradas de: https://100anos100arvores.wordpress.com/

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Estrago da tempestade.

Os ventos fortes que se fizeram sentir no último Sábado causaram poucos estragos no nosso jardim, à excepção desta buganvília num dos Ladeirões que foi arrancada dos arames que a seguravam à parede:


Entretanto já se passaram alguns dias e ela permanece assim tombada. Espera-se que a reponham tal como estava e não cortem mais do que já tinha sido há bem pouco tempo, ver aqui.

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Cortar é preciso, regar não é preciso.

Há mais de três anos que entregamos um projecto na JFM para voltar a cobrir as paredes dos ladeirões com buganvílias, ver aqui. Esta proposta foi muito bem aceite, elogiada, com a promessa de ser concretizada.
Inicialmente verificou-se a colocação dos arames para fixação e a plantação de meia dúzia de pés de buganvília. Mas, como sempre, não houve o cuidado de acompanhar e promover o crescimento dessas plantas. Resultado, tudo como dantes.
Entretanto as velhas e resistentes buganvílias sempre que se atrevem a crescer são logo podadas:


Pena é que não haja a mesma atenção e cuidado para não deixar morrer à sede os novos pés:



domingo, 26 de agosto de 2018

Clareira

Aquando da chamada requalificação do jardim em 2009/10 os dois choupos do alinhamento que existiam junto ao quiosque foram abatidos e não substituídos para não interferirem com a Ficus vizinha, ficando aí um enorme espaço aberto:
Faltam aqui duas árvores de alinhamento.

Entretanto, no passeio oposto, foram abatidas as três palmeiras, duas das quais neste sector, e, já este ano, dada a queda de uma Ailanthus Altissima e o abate de outra abriu-se um enorme espaço vazio que urge preencher com novas árvores para atenuar esta notória clareira:
Há que preencher as caldeiras vazias, há já demasiado tempo, arrancar dois cepos e plantar novas árvores.

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Proteger é preciso.

Qualquer pessoa que percorra o jardim com um mínimo de atenção verifica uma acentuada e rápida degradação de grande parte dos seus canteiros, principalmente daqueles que estavam protegidos por uma cerca de aros em ferro e que, por deliberada e incorrecta decisão, deixaram de estar.
O resultado está à vista e, dada a pressão humana a que o jardim está actualmente sujeito, irá piorar ainda mais, caso não se tomem já  medidas adequadas.
Pisoteio dos canteiros,  jogos de bola, trepar às árvores são "actividades" que se verificam todos os dias para as quais este espaço não é o indicado e que conduzem ao resultado que as imagens seguintes bem ilustram: