sábado, 5 de maio de 2018

Porquê?

Com a reactivação, parcial, do eléctrico 24, a paragem que existia em frente à confeitaria Cister, junto ao Museu de Ciência, foi removida e colocada a cerca de 90 m de distância,  em frente à entrada para Imprensa Nacional, ver esquema:
 A vermelho as actuais paragens dos E24 e dos autocarros da carris no sentido Chiado-Rato

Esta mudança é incompreensível e está a ser muito prejudicial para utentes e para a fluidez do trânsito. As razões que levaram à sua mudança deveriam/devem ser explicadas e fundamentadas por quem de direito.
Porque é que consideramos a mudança da paragem uma má decisão?
1 - Aumenta em cerca de 90 m a distância entre a paragem junto ao jardim e a actual posição;
2 - Retira a possiblidade de rapidamente as pessoas passarem da paragem no sentido Chiado-Rato para o sentido Rato-Chiado e vice-versa;
3 - Coloca a nova paragem logo após uma curva - para quem circula no sentido Chiado-Rato - e recebe mais o trânsito que vindo da rua da Imprensa Nacional, se dirige para o Rato;
4 - Está colocada num dos pontos em que a Rua da Escola Politécnica é mais estreita;
5-  Está colocada precisamente em frente à garagem de um edifício particular o que vai perturbar a entrada e saída de veículos dessa garagem e perturbar o trânsito no sentido Rato-Chiado, quando um veículo quiser entrar na garagem e um eléctrico ou autocarro estiver parado na paragem.

Mas a opção por esse local para colocar a paragem ainda mais incompreensível se mostra se repararmos que mais à frente, a cerca de 80 m, existe uma placa separadora onde dantes estava colocada uma paragem de eléctricos e autocarros.
Assim o que sugerimos para corrigir tão aberrante escolha é que seja resposta a paragem junto ao Museu de Ciência, em frente à confeitaria Cister, e, só para os eléctricos, seja reposta a paragem em frente à igreja de S. Mamede, no separador central (a verde no gráfico).

Posição da actual paragem, cortando o acesso a uma gargem particular.
A actual paragem fica após uma curva e onde a via se estreita mais.
 Separdor central onde deveria ficar uma paragem para o E24.
 A antiga paragem era aqui. A largura da via é aqui muito superior.

terça-feira, 17 de abril de 2018

Aspectos.


Um Buraco Residente.
Assentou Praça vai para 3 meses.

Apesar das chuvas de Março e Abril.

Caldeiras vazias que tardam em ser preenchidas; árvores abatidas que tardam em ser substituídas.

 Alguns dos atalhos persistem e persistem.

 A incúria matou-a; permanece por incúria.

 Estado do famoso piso dois anos após.

 Isto é o que se chama colocar o lixo debaixo do tapete.


quarta-feira, 11 de abril de 2018

Eléctrico 24

Finalmente:

Fotos tiradas esta manhã.

Quando a carreira 24 entrar em funcionamento regular adivinham-se problemas em conciliar este transporte público nesta via saturada com veículos privados.

quarta-feira, 7 de março de 2018

Gabriela Cerqueira

Faleceu esta Terça-feira a nossa querida amiga e companheira deste grupo dos "Amigos do Príncipe Real", Gabriela Cerqueira


Apesar das suas diversas ocupações e interesses conseguiu sempre arranjar tempo para participar nas actividades deste grupo. Iremos sentir a sua falta; falta das suas ideias e opiniões e sobretudo da sua amizade.
Apresentamos as nossas condolências à família.

O velório será amanhã, dia 8, na Basílica da Estrela entre as 17 e as 23h. O funeral será Sexta-feira às 15h para o cemitério dos Prazeres.

sábado, 3 de março de 2018

Como classificar isto? Será só incompetência?

A saga dos ecopontos na praça tem vários capítulos e dura há quase dois anos. Em meados de 2016 os ecopontos que existiam no lado nascente da praça foram substituídos por uns novos, como aqui e aqui reportamos. Só que, para espanto de muita gente, estes novos ecopontos nunca chegaram a entrar em funcionamento:
 ecopontos, 6, que nunca chegaram a entrar em funcionamento

Assim estiveram, envolvidos neste gradeamento, mais de meio ano. Indagamos a razão dessa não entrada em funcionamento e foi-nos dito que iriam ser substituídos por um novo modelo de ecoponto, com características técnicas mais avançadas. Muito bem. Mas então porque não instalaram logo esses novos modelos de ecopontos?
De facto a 20 de Julho de 2017 estes ecopontos, repetimos, novos e nunca entrados em funcionamento, começaram a ser retirados:
para serem substituídos pelos novíssimos modelos, que entretanto, também estavam a ser instalados do outro lado da praça, em frente ao palacete Cor de Rosa:
 e assim, ao fim de alguns dias lá foram instalados 4 novíssimos ecopontos no lado poente do jardim:
e 6 no lado nascente, que entraram em funcionamento a 15 de Agosto de 2017:
Os 6 novíssimos ecopontos colocados no lado nascente.

Destes 6 dois são para lixo doméstico; um para vidro; um para metal/plástico e dois para papel/cartão. Distribuição absurda, como aqui já referimos. O único para metal/plástico está quase sempre repleto o que leva a frequentes situações como a abaixo ilustrada:

Mas os quatros colocados no lado poente, esses nunca entraram em funcionamento!
Estes quatro nunca entraram em funcionamento.

Até que "A velha Senhora" a 11 de Dezenbro de 2017 sobre eles caiu:
deixando-lhes a parte metálica superior um pouco amachucada:
De observar que a instalação destes quatro ecopontos obrigou a obras avultadas e ao alargamento do passeio.
Estamos agora em 2018. 
No início de Fevereiro é marcada mais uma área, quase em frente ao quiosque dos refescos, para estacionamento de motociclos. É pintada, colocados pilaretes de demarcação, estampado o logotipo dos ciclomotores, mas quase não chega a ser usada por nenhum motociclista! É que poucos dias depois, começam a abrir dois enormes buracos que atingem a área recém marcada para os motociclos, roubando mais de metade dessa área:
Para que são estes dois buracos? Para colocar do lado do jardim, oposto ao lado onde estão os outros quatro contentores, dois novos contentores!

e assim ficamos com quatro contentores de um lado e dois do outro, estrangulando a passagem à entrada para rua da Escola Politécnica:
Já pensaram no que vai acontecer quando um camião, para a recolha do lixo, parar ali entre os dois lados onde estão colocados os contentores?
E assim ficou agora a área reservada para os motociclos

Mas parece que esta saga ainda não terminou. Eis que agora dois dos quatro contentores, que estavam em frente ao palacete Cor de Rosa, foram retirados e os respectivos buracos preenchidos:
Será que 4+2 era demais? Ou será que 2 de um lado e 2 do outro é mais bonito?
 dois de um lado
e dois do outro
estrangulam melhor a via

Ou será que os dois que restam do lado do Palacete vão acabar por saltar para o outro lado? Parece que aos novos donos do Palacete não lhes agrada nada a ideia de terem contentores de lixo à sua porta de entrada.
Entretanto cabe perguntar: quanto dinheiro já aqui foi esbanjado? 
A suivre.