domingo, 23 de abril de 2017

Tirem-me esta corda do pescoço, por favor!

Já não me basta terem-me (quase) morto de sede e ainda me obrigam a servir de suporte a este grosso fio eléctrico vermelho:
que me torce o pescoço!

Agora que a feira biológica passou, finalmente, para o outro lado da rua:
porque é que tardam tanto a tirar-me esta corda do pescoço?

sábado, 15 de abril de 2017

Quantas vezes mais?

Desde que em 2009/10,  aquando da desastrosa intervenção no jardim, foram retiradas as protecções em ferro dos canteiros, que as pessoas, sempre apressadas, sempre descuidadas, cortam a direito por onde lhes apetece, criando corredores, atalhos, por cima dos canteiros. A Junta de Freguesia da Misericórdia, a quem compete agora cuidar do Jardim, tem tentado, sem sucesso, cortar alguns desses atalhos.
Nestes dois que as imagens documentam já é a terceira vez que essas tentativas se realizam sem qualquer resultado, a não ser inúteis gastos de dinheiros:
Logo que estas temporárias protecções sejam retiradas as pessoas voltaram a abrir caminho por aí sem qualquer respeito pelo trabalho realizado.
Há que repor os gradeamentos de protecção sob pena de continuarmos neste jogo de abre corta indefinidamente.
E há que repor esses gradeamentos para precaver também estes dois outros atalhos:

ou precaver situações como esta:
em que as repetidas plantações aqui feitas poucos dias perduram.

À atenção da JFM.

domingo, 9 de abril de 2017

O Jardim não é um campo de Jogos, ou será?

Além destes avisos à entrada do Jardim:
 torna-se cada vez mais imperativo colocar avisos destes nos canteiros:


sob pena de o jardim se transformar num campo de jogos:
 com os resultados que estão à vista:
canteiros pelados
Ramos partidos, plantas agredidas


segunda-feira, 20 de março de 2017

A Primavera está a chegar.


quinta-feira, 9 de março de 2017

Podas.


Ontem fomos confrontados com uma faixa ao longo do lado poente da praça do Príncipe Real avisando que hoje entre as 8h e as 16h se iria proceder a podas nas árvores de alinhamento:
Assim, sem mais explicações no local nem no sítio electrónico da Junta de Freguesia da Misericórdia, nem na sua página no Facebook, avançou a Junta para as podas que estão agora a decorrer.

Perguntado um dos "lenhadores" qual a razão porque iam ser podadas estas árvores foi-nos dito que certos ramos estavam a cair sobre a rua e havia então necessidade de os cortar.
Ora o que se verifica é que as árvores estão a ser podadas em volta da sua copa, independentemente de os ramos se situarem sobre a rua ou sobre o passeio.
Acresce que são poucos os ramos que caem sobre a rua e, ao ficarem a um nível mais baixo, podem perturbar o trânsito automóvel.
Acresce ainda que esta não é a melhor época para podas. Num tempo em que as árvores começam a cobrir-se da nova folhagem são submetidas a um enorme "stress". Necessário? Não nos parece.
Acresce ainda que a empresa que está a proceder a estas podas, a Perene/Fitonovo, tem sido notícia na comunicação social, não pelas melhores razões.

Por isto tudo enviamos o seguinte pedido de esclarecimento à srª presidente da JFM, drª Carla Madeira:

Exmª Srª Presidente
Drª Carla Madeira

Confrontados com as podas que estão a decorrer na parte poente da praça do Príncipe Real solicitamos esclarecimentos sobre:
1 - a necessidade dessas mesmas podas, uma vez que elas envolvem toda a copa das árvores e não só os poucos ramos que caem sobre a rua e que ficam um nível que pode perturbar o trânsito automóvel;
2 - a escolha desta época do ano, início da Primavera, em que as árvores já se começam e cobrir de nova folhagem, submetendo-as a mais este desnecessário stress;
3 - a razão pela qual foi escolhida a empresa Perene/Fitonovo para esta acção, empresa cujo bom nome deixa muito a desejar como é público.
Com os melhores cumprimentos,
Pelos "Amigos do Príncipe Real"

Jorge Teixeira Pinto





quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Proibido Subir à Árvore.


Proibido Subir à Árvore, dizem os dois novos letreiros, mais pequenos e colocados mais altos, que a Junta de Freguesia da Misericórdia colocou no "Cedro do Buçaco", em posições diametralmente opostas:
Serão estes discretos letreiros suficientes para demover os jovens incivilizados de continuarem a trepar à velha senhora? Duvidamos, até porque pouco tempo após a colocação dos letreiros um deles foi logo partido:
tendo sido já substituído por um novo.

Deixamos aqui uma sugestão à JFM: porque não experimentar plantar, rodeando o "cedro", várias plantas e uns cactos, daqueles com espinhos bem visíveis e salientes? Talvez isso seja mais dissuasor além de dar um aspecto mais cuidado ao conjunto.

sábado, 21 de janeiro de 2017

Entrega de Cervejas.

Em 2009/10 foram retirados os gradeamentos de protecção dos canteiros. Essa foi uma opção deliberada dos conselheiros e dos decisores pois havia que democratizar (!!!) o jardim. O resultado da retirada dessas defesas conjugado com a falta de civismo das pessoas está à vista de quem queira ver: o elegante desenho original do jardim está completamente comprometido pelos inúmeros atalhos e caminhos selvagens abertos por todo o lado.

Nas imagens seguintes fixamos uma entrega de cervejas para a esplanada do jardim:
 O camião pára à entrada poente do jardim e espera-se que os empregados sigam o caminho existente para alcançarem a entrada da esplanada.
 Mas não, o que os dois funcionários fazem é cortar a direito usando um atalho, que eles e outros como eles já fizeram, pelo meio da vegetação.

 A vermelho o "caminho" usado pelos funcionários; a azul o caminho existente.

No esquema dá para observar que por uns meros metros poupados os funcionários pisam e degradam ainda mais as plantas deste canteiro.


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Até quando?

Há meses atrás -Julho de 2016?- um carro galgou o passeio do lado poente da praça, derrubou o gradeamento e quase caiu no fosso que separa as casas do Páteo do Ferreira do patamar do passeio, mais elevado:
 A entrada para o Páteo do Ferreira
Fotos de Agosto de 2016
Passados estes meses todos a perigosa situação mantém-se inalterada:

À atenção de quem de direito, JFM? CML?, para que tomem as devidas providências antes que ocorra algum grave acidente.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Desprotegida.

Após o último grave atentado sofrido pelo "Cedro do Buçaco" a Junta de Freguesia da Misericórdia colocou um pequeno letreiro preso ao gradeamento protector proibindo a subida à árvore:
Como aqui se deu devida nota.

Passadas algumas semanas o pequeno letreiro já lá não está:

 Quem o retirou? Porquê? Não conseguimos saber se foi retirado pela JF ou por desconhecidos.
Se este letreiro, de um grafismo chocante para o local, era manifestamente inadequado para o objectivo que se pretende, a não existência de qualquer aviso sobre o valor da árvore e a necessidade de a respeitar e preservar é ainda mais chocante.
Há dias, uma pessoa do nosso grupo avistou e interpelou um grupo de jovens empoleirado na árvore. Admoestados não quiseram saber das razões apontadas para descerem da árvore. Esse nosso membro telefonou então para a polícia que levantou muitas reservas para se deslocar ao jardim. Felizmente uma 2° inspecção mostrou que os jovens tinham já abandonado o local.
Estas situações vão repetir-se e acabarão por danificar irremediavelmente o belo "Cedro-do-Buçaco" caso não se tomem as devidas providências.

À atenção da JFM e do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, pois que se trata de um exemplar classificado.



domingo, 1 de janeiro de 2017

Os dois novos ecopontos.

No lado poente da praça estão a crescer dois novos ecopontos:


Estes novos ecopontos são, como agora se diz, resilientes: de vez em quando desaparecem mas logo logo voltam ao seu estado normal. Estes que as imagens documentam já permanecem assim há uma semana.