quinta-feira, 24 de maio de 2018

Sobre estes abates.

Neste processo não deixa de ser curioso os procedimentos (designação inapropriada, já que a vacuidade impera) correntes na “selecção” das árvores a abater, um dia passam e … as Robínias são consideradas “perigosas e com deficiências diversas” abatam-se são um perigo! …
Abatam-se as Robínias; são um perigo!

Uns meses depois (sem que nada de extraordinário tivesse ocorrido) repararam agora na Ailanto e … vai mais uma aprimorada avaliação, têm que ser abatida…
 Repararam agora na Ailanto
Ou seja o critério é a sua inexistência, isto é, resulta apenas de uma casuística aleatória consoante os doutos responsáveis vão passando…  
Entretanto os restos das Robínias continuam no local a juntar ao exemplar que morreu à sede mais quatro caldeiras que continuam vazias, perfazendo sete locais vazios.
Os restos das Robínias continuam no local

 Uma das caldeiras vazias há anos!

Os insignes responsáveis não deslumbram uma réstia que seja da necessidade de reposição de novas plantações.
Genuína indigência… paredes meias com uma incompetência que não se desculpa com a tão apregoada “falta de meios”.
Que espécies são passiveis de sugerir com tal quadro.


Nota: mensagem enviada por António Quaresma, membro do grupo

Sem comentários:

Enviar um comentário